Apr 27, 2007

Eco

Em silêncio à maestria clássica de Góngora, hoje só ecôo o blog de uma amiga, amiga de alma, amiga das letras. Leiam o poema em silêncio, que é mais fundo!

De la brevedad engañosa de la vida

Menos solicitó veloz saeta
destinada señal, que mordió aguda;
agonal carro por la arena muda
no coronó con más silencio meta,

que presurosa corre, que secreta,
a su fin nuestra edad. A quien lo duda,
fiera que sea de razón desnuda,
cada Sol repetido es un cometa.

¿Confiésalo Cartago, y tú lo ignoras?
Peligro corres, Licio, si porfías
en seguir sombras y abrazar engaños.

Mal te perdonarán a ti las horas:
las horas que limando están los días,
los días que royendo están los años.

(Góngora)

1 comment:

daniela said...

Valeu a pena pegar o dicionário. Não precisei procurar muitas palavras, mas num tema tão complexo, duvidar do significado de uma palavra é correr o risco de não entender o poema todo.
"Peligro corres, Licio, si porfías
en seguir sombras y abrazar engaños."

Estou chegando à conclusão de que a melhor maneira de entender poesia é cometer os erros mais primários, uns atrás dos outros, porque assim, não tenho que imaginar o que o autor estava sentido, nem preciso deduzir sua motivação quando escreveu. Há quem chame isso de viver.