Apr 7, 2007

A Biblioteca de Alexandria

Posto hoje, pela pressa do dia, um conto que fiz há muito tempo (em 2004, se não me engano), mas pelo qual mantenho muita afeição.

A Grande Biblioteca

A cada página que se passa, um enorme barulho de engrenagens e gritos pode ser ouvido no interior da Grande Biblioteca. Desde que implantaram nela o inovador sistema de leitura, e separaram os gabinetes por intelecto e faixa etária, após contínua reclamação dos mais velhos, sempre que se passa uma página, as cadeiras, presas a enormes tubos de aço e de organização, desalojam-se em busca do mesmo livro, em outro lugar, aberto à mesma página ou à página seguinte, para que o leitor possa continuar seu intento. Quando se termina um livro e fecham-no, a Biblioteca busca realizada e automaticamente outro livro fechado para que o ciclo semi-fortuito de leituras não se interrompa. Em cadeiras desconexas, a um canto, ou mesmo sobre a estrutura de aço, encontram-se incontáveis moribundos que em silêncio só se beneficiam da Grande Biblioteca pelos brados exaltados que, hora ou outra, ecoam pelo salão, mas quase sempre chegam em confusa e intermitente balbúrdia. De todo jeito, precisa-se de esforço para manter a ilusão real de movimento na Grande Biblioteca.

2 comments:

Kah said...

Que conto lindo, e que experiência interessante deve ser ler em tal biblioteca.Te desejo uma Páscoa recheada de bons sentimentos, com muito amor a sua volta.Beijos!!!
PS:posso te linkar?

Kah said...

Considere-se linkado,é um prazer.Pode me linkar,claro,se quiser.Um beijo!