May 12, 2007

Tudo sobre minha mãe


Acabo de ver Almodóvar em um de seus filmes mais marcantes e certificar-me de que a força de um bom argumento realmente é do que mais influencia na qualidade de um filme. Claro que os recortes realizados pelo diretor (no caso, para quem viu o filme, um "en passant" no diálogo do hospital ou a passagem de tempo dos trens são exemplos), representando sutilezas, forças ou ambos, são importantíssimos, mas nada como um argumento central de peso, recheado de pequenos truques e camadas de sentidos apreensíveis pelo cuidado e pela reiterância. Também um exemplo? Numa das cenas iniciais do filme, Esteban, o filho de Manoela, chama a mãe pois já iniciara o filme "All about Eve" e ele comenta sobre como são ruins quando não traduzem um título ao pé-da-letra. Na cena mostrada do filme dentro do filme, uma atriz afirma que os fãs são estúpidos, grosseiros, não formam público nenhum. Pouco depois na película, Estéban morre em busca de um autógrafo de uma atriz que admira, na rua dos fundos de um teatro. Sutil? O verdadeiro artista, ao não subestimar seu público, constrói a obra de arte sobre nuances fabulosas do sentido. Palmas para Almodóvar!

1 comment:

Kah said...

Não vi o filme, vou tentar vê-lo.beijos e desejos de uma boa semana!!!