May 25, 2007

Assopra

Antes de tudo, agradecer a todos os comentários... pelo jeito, como disse a Paula, fui incisivamente ao ponto das mulheres incríveis. Ainda bem que recebi a crítica das incríveis, imagina se algumas das mulheres incrivelmente burras resolvessem deixar a marca de sua indignação! Em suma, imensamente grato pelos comentários. Lembrou-me o tempo de escola primária, quando, com alguns dos mais fervorosos amigos, espalhamos cartazes pela escola, protestando sobre algo que, de nossa infância, considerávamos extremamente injusto. Talvez me acompanhe, graças a Deus, essa marca de polêmica pelo resto da vida. Em contrapartida à exaltação dos ânimos (Sizígia), trago um poema quase enganoso de tão calmo.

O hato

enquanto todos nós dormíamos
na inocência do instante próximo
impossível de existência
um hato verdadeiramente pleno
de sentidos veio ferir-nos
com suas eiras serrilhadas
nós permanecemos incisivos
na dormência do que antes
forjou em nossos dias
a importância do relevo

trapos vira-latas moveram-se
incomodados um pássaro
se enfiou no vôo ao desespero
alguns insetos se amontoam
as árvores balançaram de um lado
a outro as folhas levemente
como se à beira de além
e nós prosseguíamos dormindo
e nós imersos prosseguimos
como se nada tivéssemos
acontecido

3 comments:

daniela said...

Uma vez resolvida a estranheza do "hato", consegui prosseguir a leitura =)
Nada calmo, eu diria. Acho que ainda não entendi, mas vizualisei a cena, como nos filmes quando chega uma pessoa a uma cidade pacata, e muda a vida de todos os moradores para sempre. Sabe? Exatamente como você escreveu. As pessoas ainda não sabem que suas vidas mudaram para sempre, mas aconteceu.
Adorei, de coração, a parte "como se nada tivéssemos
acontecido". Acho essas unificações apaixonantes.

Kah said...

Lindo!!!Apaixonante!Sereno, como água do mar em dias sem ventos.É como acordar sem saber que um furacão varreu a cidade.Please, que é hato?Não achei em lugar algum.Beijos e linda semana!!!!

Tagg said...

oi, Gu. agradeço pelo comentário lá no meu bloguinho. acho que não era pra tanto. o elogio de fato pode ser um peso.
aí, bem, eu li o texto sobre as incríveis e mais uma vez aquietei meu coração onde ele (incrivelmente) cabe.
bjos, amore
difícil fugir da verdade.