May 3, 2007

Daqueles condensados

Snapshot

um jovem comediante
sul-coreano
entrou na universidade da Virgínia
com seus brinquedos
e matou-se

não antes
de assassinar trinta
e duas pessoas
uma delas
revelação promissora
do time universitário de vôlei
americano

não?

p.s.: pra minha amiga que prefere que eu escreva de mim mesmo a que eu poste poemas...

5 comments:

daniela said...

Ah, Guto! Peloamordeus!!!! Nada de lirismo pra esse comentário.
Tô em choque com o p.s.
Não vou discutir se és ou não és autodestrutivo (sei que esse poema é pra ser lido no sentido figurado, só por causa do p.s.), mas, ou eu tenho muita sorte, ou tu realmente és incapaz de ferir outras pessoas. Portanto, trata de soprar essa nuvem de pessimismo pra bem longe e abandonar esses pensamentos estranhos. Ai o rapaz! Perdeu o juízo!
E não gostei nada de teres ressaltado a tal revelação do vôlei.
Maldito mundo que tem a mania de olhar só para os títulos. Aposto que entre os anonimos tinha muita gente incrível, que ainda tinha muitas coisas boas pra fazer pela vida e pelos outros.

Má said...

nossa....
pela primeira vez posto só prá dizer....
SEM COMENTÁRIOS

Tagg said...

te escrevo pra dizer que estou longe de tudo, escrita e leitura. mas passo aqui pra te fazer a companhia que não é.
pra voltar um tanto à cotidianidade: vi o post com o poema do Góngora. fiquei feliz e o poema não.

ele não se matou. já estava morto. teu poema o disse.

bjos.

Kah said...

Mundo louco o que vivemos, tanta gente que podia fazer algo grande, mas não deixo de pensar que no meio desses ainda podia estar mais um lunático como ele.Beijos e ótima semana!!

daniela said...

Ah, esqueci de dizer. Apesar de ter ficado "ligeiramente" aterrorizada depois de te-lo lido, acho que conceptualmente é um bom poema. Totalmente inusitado. Não sei o que pensaria se o lesse num jornal, por exemplo, porque já não sei separar obra do autor, mas conhecendo (muito pouco) o seu trabalho, tenho que reconhecer, no mínimo, a sua versatilidade.