May 17, 2007

Lições

Tenho aprendido lições. Algumas delas, eu já sabia mesmo antes de aprendê-las. Outras, eu tomo como aprendidas, mas não as pratico. Aquelas, porque antes se desenvolve o raciocínio pragmático do que o amoroso. Estas, por preferir sempre a mentira quixotesca a uma boa realidade machadiana. No estado pênsil de existência, em que as pessoas dificilmente mudam e raramente aprendem, adaptando somente o que é passível de ser aprendido ao arquétipo de si mesmas que já possuem, prossigo com a satisfação de prosseguir estritamente por aquele instante, porque no seguinte certa e novamente não aprenderei nada.

4 comments:

daniela said...

Esse post combina tanto com o meu dia que chega a ser irritante!
Tá bem no clima de um dos últimos scraps que eu te mandei. Ai vida!
Vamos reinventar a roda, todos os dias, que é ótima a sensação de exaustão e tempo perdido!!!!
E viva a redundância!
P.S.: Estou ligeiramente alucinada hoje. Deve ser do café, e das 3 horas mal dormidas.

Kah said...

Seria ambivalência, ou puro pragnatismo?No fundo sempre acabamos aprendendo algo,nada nos passa verdadeiramente batido.Um beijo e linda sexta-feira!!

isaac said...

salve poeta !
poeta, vírgula, filósofo.
ou poeta presente.
venha ao rio para discutirmos o lúpulo da cerveja, carissimo.
um abraço !

Anne Baylor said...

Inegavelmente poeta.
Inteiramente cru...

E o que seria de nós se não fosse a intensa jornada em que se degladiam o errar e acertar manhã após manhã?

O aprendizado nos conduz e cada acerto, faz do erro um pequeno degrau que nos leva à uma qualidade de vida melhor, no corpo, na alma, na mente.

Bjo enorme