Nov 19, 2006

O fim

Todas as coisas no mundo começam de um fôlego, se definimos fôlego como algo depois do que é e antes do que vai ser. O fim é o que verdadeiramente importa e vem acompanhado de bandeiras, passeatas, passistas, tanques e nudez. O começo, o outro limiar do fôlego, só tem autenticidade quando não se anuncia. Se precisou ser proclamado, distinguido, requsitada sua valência, é que não tem forças para ser chamado por si só de começo de algo. Autêntico foi meu amor pelo mulher que me incentivou a começar a escrever neste blog, mas não este blog, que se vale de um pequeno proêmio a fim de alcançar seu intuito inaugural. Somente o amor, em geral, seria suficiente para gerar dedicação e postagens? Sim, certamente, mas valho-me também do amor de e por alguns poucos que já haviam me encorajado estas paragens e do meu amor pela arte, sobretudo, como razões de começar estas aventuras. Este blog, por fim, é feito de poemas, canções, roteiros, contos, peças, romances, musicais e tudo o que for permitido enquanto forma para vazar o verbo. Agradeço de já os olhos claros da minha bonita e de outros alheios que irão derramar uma paixão ou outra nestas linhas. Não prometo retribuição ou comentário, mas comente, se quiser. Mas, principalmente, pegue o que encontrar de arte e vá depurar em ausência suas sensações!

1 comment:

Lu said...

nossa que responsabilidade!! nao queria ser a primeira a comentar aqui nesse blog tao chique mas.... vai ter que ser assim...heheh
gutoo!!! seu blog ta lindo, o que vc escreveu ainda mais...!! certo que em algumas (muitas) partes eu tive que parar para ler umas 3 vezes pra entender o que vc escreve de tao complexo que vc consegue ser... heheh mas eu ADOREI.. mesmo!!!
quero ver vc postar aqui todos os dias como vc falou hein?? vai ser uma diversão a mais pra mim fora o orkut..hehehe
entrarei aqui sempre....
sucesso na sua carreira que vc tem um potencial enorme!!!!

beijao!