Oct 20, 2008

Dedicatória


Dedico nossa arte aos geniais compositores mortos - Cartola, Noel, Tom, Chico, Gil e Caetano - que por testamento lembraram de nós em seus espólios. Dedico aos menos talentosos que hoje dizem o que é bom, que importam de suas viagens aquilo que a maior parte dos outros está gostando e impõem como modelo. Dedico ao nosso cinema, Spartacus das favelas, que erige suas imperfeições na ressalva de que o bem mais valioso do artista há de ser sua licença poética. Dedico ao nosso teatro, antecipadamente, que surgirá assim que julgarmos que basta o tempo de velarmos as décadas precedentes. Dedico à nossa dança, que dança? Dedico aos nossos poetas, todos pela cartilha de uma prosa bem feitinha que vem do interior de Minas e que, por esmero de senhor, arranjou-se linha a linha. Dedico nossa arte à ditadura, não àquela, horrenda, das mortes explícitas, mas a esta que ainda estica sua sombra de silêncios, permitindo que algumas opiniões sejam interditas, que aloja bastiões das guerrilhas nas presidências eméritas de clube e que deseducou tanto nosso povo - do berço esplêndido, artístico, de bom ouvido, pernas, intrépido e obstinado - que só faz arte popular hoje quem compõe rap ou novela. Dedico nossa arte àqueles que se enganam. Quando por fim e novamente tomarmos as passeatas como o grande entretenimento sabatino e juntos protestarmos Contra a Mediocridade da Nação - sem saber que tal cartaz é logicamente impossível -, embora, claro, os pobres levem as bandeiras e tudo o que for pesado, dedico nossa arte aos bem retaliados. Dedico também aos que se eximirem no ócio de suas casas, afinal é mesmo o tempo próprio para o sono. De tudo o que fizemos e que somos, e do qual sou culpado na carne por vinte e três pares, dedico nossa arte ao fim que se aproxima, que há de chegar logo, dedico para isso, e não haver mais no mundo a ilusão do artista!

8 comments:

Ca:mila said...

Isso é lindo! Lágrimas e palpitações!

PS: Claro que pode linkar aqui, também eu linkarei o seu lá.

Abraços!

valéria tarelho said...

e salve o dia Dela, POESIA!

Guto, meu péssimo hábito de responder comentários no meu próprio espaço gritou mais alto e comentei lá o seu comentário, além de falar da sua música. Transcrevo aqui só a parte que fala da sua música, ok?

Falando nisso, ouvi você & banda, ouvi tudinho...My God, quem diz que nunca mais haverá outro Chico, outro Milton, outro Tom e cia. é porque se limita ao que dita a mídia. Vocês são ótimos, a boa música, a música de verdade VIVE! Quero ver/ouvir ao vivo!!!!!!!!!!!!! \o/

é isso, já era fã do poeta, agora jogo peças íntimas no palco...rsss

beijinho!

FlaM said...

Inspiradíssimo hoje, hein, meu caro artista!
Beijos querido, f.

apesardoceu said...

Bravo!!!
Amigo.

braço!

Victor Meira said...

Bacana, Guto, válida dedicatória. Juntar Chico, Gil e Caetano aos outros três foi engraçado. A dedicatória à ditadura quase escorrega, mas vem bem xavecada. Gosto das dedicatórias aos que se enganam e aos bem retaliados - principalmente aos primeiros.

O desfecho sugere um enigma acerca deste "fim", e completa com efeito e utopia na promessa causal. Soa bem.

Enfim, me pareceu mais relevante, de modo geral, pela sagacidade de certos trechos em tom de crítica do que pela dedicatória em si.

Legal.
Abraço!

Guto Leite said...

Salve, caríssimos! Obrigado pelos elogios, obrigado mesmo, às vezes acordo puto com a arte e acabo soltando uns berros desses! Val, obrigado especialmente pelos elogios à banda, já os repassei aos meninos e vai ser um prazer imenso contar contigo assim que começarmos / voltarmos a tocar! Victor, vc tocou no ponto, meu caro. Exatamente o lance da ditadura eu fiquei meio assim de deixar. Fico receoso em zombar de coisas sérias como ditaduras, catástrofes e afins. Na última hora decidi deixar como estar e tals, mas entendo e compartilho da ressalva, poeta.
Um grande abraço a todos e muita arte, sempre!

william galdino said...

É meu velho eis a sagrada e ingrata tarefa da poesia essa arte não imediata lutando contra esses tempos de rojões, estardalhaços e sumiço.Deixo aqui os meus aplausos pras tuas palavras, aplausos não de duas mil mãos ,mas das duas que tenho.grande abraço e até.

Guto Leite said...

Mais valem duas mãos nos braços do que duas mil voando, meu caro Will. Obrigado por engrossar o coro. Sigamos! Grande abraço e arte