Mar 22, 2009

Postagem inédita

Originalmente, este é um blog de poesia... como as musas se arrediam, passou a ser de poemas e contos. Por compartilhar com o protagonista da obra-prima de Mário sua maior qualidade, virou poesia, conto e quadrinhos. Daí mudei-me para longe, demorando mais para ter novos quadrinhos, tornou-se poesia, conto, quadrinhos e roteiros. Ah, enfim, hoje deixo um trecho da minha única peça (com Gustavo Teixeira), que concorre ao Prêmio Nacional de Dramaturgia que sai agora dia 30. Rezemos!

HOMEM (acariciando a MULHER, à revelia):
Não. Eles não contam... presos, livres, alheios...

MULHER:
Tac.

HOMEM:
Sabem do tempo porque nós os visitamos, às vezes, jogamos bananas, fazemos nossos filhos imitá-los.

MULHER:
Nós temos filhos?

HOMEM:
Não. Mas se tivéssemos, faríamos isso.

MULHER:
Tac.

HOMEM:
Tic.

MULHER (cedendo ao carinho):
Você é muito duro comigo.

HOMEM:
Sou, para não perdemos nada.

MULHER:
Mas pra isso precisa acabar com tudo?

HOMEM:
Tudo o quê?

MULHER:
Tudo. Isso (apontando em volta)... tudo!

HOMEM:
Eu mantenho tudo isso.

MULHER (saindo dos carinhos, indo em direção à cama):
E não precisa de mim?

HOMEM:
Claro que preciso, mas você não é imperativa.

MULHER (começando a se exaltar):
O que quer dizer com isso?

HOMEM (se aproximando, cândido):
Você é algo que eu quero...

MULHER:
Tac.

HOMEM:
E os desejos provocam necessidades.

MULHER:
Mas...

HOMEM (chegando à MULHER):
Mas o tempo é imperativo, está além do desejo, e você não...

6 comments:

apesardoceu said...

que bonito, véio!


bração

Larissa Pujol said...

tá certo, quem define o "verbo" é o tempo... e que a mulher não o teime com seus "tic tacs" hehehe...
Parabéns, Guto, ótimo diálogo. Fico na torcida!!!! Abração!

felipe said...

Quero ver tudo Gutão!

Saudades!

Heyk Pimenta said...

ihh gutão, que doidera isso do tempo ser imperativo, estar além dos desejos.

Credo. Não me inclui nisso não, hein rapaz.

Ah, o tempo é imperativo por causa da fome, acho.

Querido, gostei dos tacs, do tempo ali. Inteligente isso. Um cara cândido sendo duro pra nao perder tempo. Nem conheço ninguém assim. Hehehhee

Parabéns mano.

Compulsão Diária said...

Eu juro que deixi um comentário aqui.
Cadê?
Bão, lá vou eu , mais uma vez, porque gosto mesmo do texto. Inclusive ao reler lembro que citei o lance da insatisfação feminina mesmo qdo um homem lhe diz coisas assim. Entendam: ela está no tempo da música dele.
E o show? foi bom pra vc? ;)))

Mazinha said...

Genial! Adorei.
Manda inteiro por e-mail, quero ler a obra completa.