Apr 8, 2010

Cuidado

Venho falar de força e de cuidado.

Sem querer voltar à égide da temperança, está cada vez mais claro para mim que exagerar na força, sobretudo os fortes, é extremamente perigoso. Acompanho alguns "formadores de opinião" no Twitter e é impressionante como as pessoas conseguem ser categóricas com facilidade. Não muito desastroso em opiniões mais óbvias, mas devastador no que tange a casos controversos. Há certa loucura em todas as cruzadas.

Vou falar por versos, que talvez fale melhor.


(poema do livro "zero um" que sai no fim deste mês pela 7 Letras)

4 comments:

apesardoceu said...

é amigo... a verdade é que é tudo muito.. muito complicado....

e AHHH o meu livro sai no fim do mês também! vamos a troca! hehehe

isaac said...

Como vai meu querido?! Muito bom vê-lo firme e forte, voando na literatura com a facilidade de quem, literalmente, respira o meio :)
Os versos vêm acompanhandos de reflexões, sempre afiados - ambos. O "cuidado" vem como anuncia, delicado, bonito, certeiro.
Estou na Ásia, tentarei acompanhar na medida dos meus recursos.
Um grande abraço !

Guto Leite said...

Salve, Dom Everton, claro que vamos à troca! Vai sair perdendo, hein, parcceiro! =) Minha parte Shylock vai gostar de me ver tirando vantagem em transações comerciais...

Fala, marujo, bom saber de tuas andanças pela Ásia e que segue com teus versos cheios, de força! Também sigo de olho lá no teu espaço e obrigado pela visita e pela leitura.

tagg said...

gostei muito, Gu. e (é) de onde vem lirismo também. :)